Muito mais que uma data comemorativa onde presenteamos as mulheres com flores e chocolates, o dia internacional da mulher é um dia de luta por diretos, igualdade e reconhecimento na sociedade. Ressaltamos a importância da luta das mulheres por um mercado de trabalho mais justo e igualitário em todos os setores.

De acordo com o último censo do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), dos 128 mil profissionais registrados no país, 61% são mulheres. Uma tendência que vem crescendo ao longo das décadas, além disso, o curso de arquitetura e urbanismo a maioria dos alunos são do sexo feminino, onde é visível a predominância das mulheres. Uma história que começou lá atrás, nos Estados Unidos, com Marion Mahony Griffin, considerada a primeira mulher a se tornar arquiteta.

Analisando o Brasil, no Rio de Janeiro são mais de 11 mil mulheres arquitetas comparados a 8 mil homens; em Minas Gerais são mais de 8.800 arquitetas, enquanto apenas 4 mil são do sexo masculino. Ao todo, em 24 estados brasileiros e no Distrito Federal a presença das mulheres é majoritária. As principais atividades realizadas são as de projeto (55% do total), seguidas de execução de obras (32%) e atividades especiais (9%), que são referentes aos serviços de laudos, vistoria, perícias, avaliações, consultorias, entre outros.

Confira algumas das curiosidades e desafios que relatam como a presença da mulher está avançando no mercado de Arquitetura e Urbanismo:

1 – Zaha Hadid foi a primeira mulher a receber o Riba Royal Gold Medal

Autora de obras famosas como o Centro Aquático das Olimpíadas de Londres 2012, Zaha Hadid é a ganhadora do Royal Gold Medal, prêmio anual concedido pelo Institute of British Architects (Riba) com aprovação pessoal da Rainha da Inglaterra.

2- Marianne Peretti foi a única mulher a integrar a equipe de Oscar Niemeyer.

Marianne Peretti, foi a única mulher a integrar a equipe de Oscar Niemeyer para a construção da capital federal, foi responsável pela criação dos vitrais da Catedral Nossa Senhora Aparecida – a Catedral de Brasília, do Palácio do Jaburu, Superior Tribunal Federal, Memorial JK, entre outros.

3- Miriam Addor, a primeira mulher presidente nacional da AsBEA

Eleita em 2015, durante a Convenção Anual da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), Miriam Addor, do escritório Addor Associados, sucederá Eduardo Sampaio Nardelli. A posse para o cargo de dois anos foi realizada em julho. A arquiteta foi a primeira mulher presidente nacional da associação brasileira dos escritórios de arquitetura.

(Total de 18 visitas, 1 visistas somente hoje)

Adicionar Comentário