Ter o escritório como uma extensão de nossa da nossa casa, está com os dias contados. No escritório do futuro, nos pós pandemia, não terá espaço para acumularmos coisas como, plantas, porta-retratos e objetos pessoais. Isso, porque os mobiliários poderão ser separados por acrílicos e teremos apenas o necessário para se trabalhar. Os objetos pessoais, como bolsas e até matérias de escritórios que utilizando durante o dia-dia, ficarão armazenados em armários.

O isolamento de mesas será feito, pois dessa forma evitaremos a aproximação dentro do ambiente.

As salas de reuniões terão a capacidade reduzida de pessoas, em alguns casos, para permitir maior ventilação no local. Até mesmo as janelas, inexistentes em alguns prédios, poderão voltar a ter espaço. A ideia é criar alternativas melhores para a circulação de ar e evitar que o vírus se propague pelo escritório através de ventilação artificial.

Essas são algumas propostas que vêm já sendo aplicadas em alguns locais por arquitetos, pois, as empresas já estão se preocupando e mudando todo o seu layout, a fim, de proteger seus colaboradores. Segundo o arquiteto Douglas Enoki “Temos verificado uma demanda grande das companhias que buscam soluções para voltar ao trabalho nesse cenário desafiador”. Com o bom trabalho em home office durante a crise, as empresas optaram em manter o trabalho remoto, pelo menos, por alguns dias da semana. Ou seja, realizando o revezamento de trabalhadores nos escritórios será maior e exigirá menos mesas nos espaços.

Mais janelas e ventilação natural serão as opções dos escritórios.

E o que podemos esperar da nova arquitetura para o escritório pós pandemia? Alguns arquitetos reforçam, que os novos escritórios serão mais abertos, com mais abertura para ventilação natural e mais aconchegantes. As empresas vão optar por mais espaços de descompressão para as pessoas se encontrarem quando não estiverem trabalhando em home office.

Áreas de conforto e descontração para proporcionar um alivio na pressão dos colaboradores em home office.

Um dos pontos mais importantes é a limpeza. A limpeza terá que ser feita de forma diária e seguindo um protocolo, em áreas comuns e ao redor do local. Segundo a arquiteta Bruna de Lucca “A limpeza comum e periódica será substituída por rotinas diárias de higienização de ambientes e superfícies com produtos especiais, além de todos os materiais que adentrarem ao escritório”. Por isso, o novo layout prevê que bancadas externas para higienização das mãos, espaço para higienizar os sapatos, álcool em gel, luvas e máscaras. Toda a proteção deverá começar na recepção da empresa, antes de qualquer profissional adentrar no escritório.

Menos itens na mesa de trabalho facilitam na limpeza diária.
Todos os dias as empresas realizaram limpezas dentro e fora das salas, dessa forma, evitando o risco de contaminação.

O mais importante segundo os profissionais, é encontrar medidas que sejam funcional e levem mais conforto e segurança para todos os profissionais. Além disso, adotar medidas para reduzir aglomerações de pessoas terão que ser adotadas, por isso, a flexibilização dos horários de entrada, saída e horário de almoço é/serão fundamentais.

Além disso, grandes empresas do segmento de matérias de construções, revestimentos e afins, já estão se antecipando em desenvolver soluções que poderão agregar muito para os escritórios do futuro. Os produtos de fácil limpeza estarão no topo da lista, as empresas optaram por tudo aquilo que levará mais segurança e praticidade no dia-dia, por isso, a importância de escolher revestimentos que são fáceis de limpar e não acumulam fungos e bactérias.

(Total de 61 visitas, 1 visistas somente hoje)

Adicionar Comentário